Páginas

terça-feira, 17 de maio de 2016

Codependência - A Busca para suprir necessidades

“Codependência é um termo da área de saúde usado para se referir a pessoas fortemente ligadas emocionalmente a uma pessoa com séria dependência física e/ou psicológica de uma substância (como álcool ou drogas ilícitas) ou com um comportamento problemático e destrutivo (como jogo patológico ou um transtorno de personalidade). É um fato conhecido que a dependência patológica causa grande impacto e sofrimento na vida das pessoas próximas, mas poucos percebem como a codependência é altamente prejudicial para ambas partes envolvidas. Ao invés de ajudar o dependente a melhorar, certos tipos de codependentes acabam reforçando o comportamento patológico.
O codependente acredita que sua felicidade depende da pessoa que tenta ajudar, e assim se torna dependente dele emocionalmente, sendo excessivamente permissivo, tolerante e compreensivo com os abusos do outro, mesmo que este seja excessivamente controlador, perfeccionista e autoritário. É comum que o codependente coloque as necessidades do outro, acima de suas próprias. “

O termo codependência com suas mais diversas definições, foi criado dentro do contexto do tratamento do alcoolismo. No entanto, o seu significado evoluiu para uma compulsão em salvar ou controlar outras pessoas através da solução de seus problemas. Em geral, a codependência tem sua origem nas necessidades não satisfeitas ou bloqueadas, determinadas por Deus, tais como amor, aceitação e segurança nos relacionamentos essenciais com os pais, cônjuge ou filhos.

A codependência ocorre com muita frequência em relacionamentos com uma pessoa problemática, resultando na negação da gravidade dos problemas no relacionamento, num elevado senso de responsabilidade e num âmbito de controlar ou de ser controlado. E isso quase sempre produz um aguçado sentimento de culpa ou vergonha, dor, raiva e solidão em uma complexa e desesperada busca de evitar o abandono. É comum vermos hoje em dia pessoas presas a relacionamentos abusivos, destrutivos, que não conseguem terminar por causa da codependencia que a pessoa desenvolveu pelo seu companheiro (a). No caso de relacionamentos, a pessoa codependente acha que seu próximo não consegue viver sem a ajuda dela e passa a tentar suprir todas as necessidades do companheiro gerando assim uma codependencia, aceitando até abusos e desrespeito, isso pode acontecer não somente em relacionamentos entre cônjuges, mas entre pais e filhos, familiares e até amigos. 

Em ultima análise, essa necessidade de aceitação somente pode ser suprida por Deus, que com seu amor incondicional prepara o codependênte para seguir em direção a cura total.
A cura da codependência requer confissão a Deus de que algo ou alguém foi colocado no lugar de Deus e, então, é preciso receber o seu perdão e a sua graça (1Jo 1.9-10), estabelecer laços afetivos e apropriados e adquirir novas maneiras de se comunicar e se relacionar. O aconselhamento pode ser apropriado e eficaz para se conseguir a cura completa (Pv 11.14).


Um grande beijo, que Deus os abençoe! 

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Na minha playlist #4

Oi pessoal, no post de hoje eu trouxe pra vocês algumas músicas que eu to ouvindo muito ultimamente, poderia ser até uma continuação daquele post Músicas que acalmam a alma porque gente ❤❤❤ muito amor. Eu tenho preferido músicas mais lentas e nacionais, essas eu to amando demais, até rimou hahahahah. Elas conquistaram meu coração, tem letras lindas que falam coisas que eu realmente acredito, e melodias envolventes, gostosas de ouvir. Fico ouvindo e cantando sem parar.

Palavrantiga - Vem Me Socorrer


Hélvio Sodré - Não há motivos


Quatro por Um - Heróis

Este é o nosso Deus - Hillsong - Diante do Trono (HGP)


Preto no Branco - Eu Te Agradeço ft. Israel Salazar


Nívea Soares - Filho do Deus vivo

Espero muito que tenham gostado, um beijo e fiquem com Deus!
“Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” Mateus 6:34

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Criados à imagem de Deus

Deus da um valor especial a vida humana  (Gn 1.26-27; Sl 8.4-6). Ela é sagrada porque o homem e a mulher foram criados a imagem de Deus e merecem proteção. Deus ordena que seu povo proteja e defenda a vida humana inocente  (Ex 16.20-21,36,38). De acordo com a lei mosaica, aquele que cometesse assassinato merecia pena de morte por causa do valor da vida que fora destruída  (Gn 9.6; Êx 20.13).

As escrituras estendem esse status especial e proteção a vida humana a todos os seus estágios de desenvolvimento e necessidades  (Is 46.3-4). O feto compartilha a imagem de Deus  (Sl 139.13-16) e está protegido pela lei do Antigo Testamento (Êx 21.22-25). Os que crêem são exortados a defender e cuidar dos doentes, dos idosos e dos pobres (Lv 19.32; Dt 15.7-8). Ninguém é excluído do cuidado e da proteção.

Essa visão bíblica da santidade de toda vida humana tem enfrentado oposição ao longo da história - mais notadamente por aqueles que defendem o ponto de vista da "qualidade de vida", sugerindo que a vida humana deva possuir certas qualidades e capacidades antes que possa ser considerada verdadeiramente valiosa e digna de ser preservada. De acordo com essa distorcida visão humanista, se o feto, a criança com deficiência ou o idoso não possuir essas qualidades, então, não tem direito à proteção dada pelas Escrituras ou pela lei.

A Bíblia rejeita essa visão da "qualidade de vida". O valor da vida humana não depende de capacidades funcionais ou de viabilidade de sobrevivência independente, mas está assegurado por causa da imagem de Deus encontrada em todo ser humano. Deus não mede a qualidade de uma pessoa antes de conferir sua imagem a ele. Deus nos chama a estender nosso cuidado e compaixão a toda vida que ele criou, em qualquer estágio de desenvolvimento e em qualquer necessidade.

(Texto retirado da Bíblia da Mulher)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...